Kit do atleta Corrida 9 de Julho
Cartaz soldado revolução 32

Você sabe porque a Corrida 9 de Julho tem esse nome?


Homenagem aos heróis da Revolução Constitucionalista de 1932

A Corrida 9 de Julho teve início em 1934, em homenagem aos heróis da Revolução Constitucionalista, ocorrida em 9 de julho de 1932.

Este movimento foi contra o golpe de estado que instituiu o primeiro governo de Getúlio Vargas (entre 1930 e 1945).

O novo presidente fechou o Congresso Nacional, anulou a Constituição de 1891 e despôs governadores de diversos estados, passando a nomear interventores e promovendo mudanças de maneira autoritária, sem consultas eleitorais. Estas medidas desagradam profundamente as elites paulistas tradicionais que se rebelaram contra os novos rumos da política brasileira.

M.M.D.C.

O estopim da Revolução Constitucionalista foi a morte dos estudantes Mário Martins de Almeida, Euclides Miragaia, Dráusio Marcondes de Sousa e Antônio Camargo de Andrade, durante a tentativa de invasão da sede de um jornal favorável ao regime varguista, em 23 de maio de 1932.

A sigla M.M.D.C., que remete às iniciais dos nomes pelos quais os estudantes mortos eram conhecidos (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo), se transformaram no símbolo do movimento.

Essas mortes foram o ponto de partida que deu início no dia 9 de julho de 1932 à Revolução Constitucionalista. Foram quase três meses de batalhas sangrentas, com a derrota militar dos constitucionalistas. Mas moralmente, os revolucionários saíram vitoriosos, porque logo depois do fim do conflito, o governo federal convocou eleições para uma Assembleia Constituinte.

Obelisco

Porque nossa região foi importante no conflito

O Vale do Paraíba foi palco importante de combates durante a Revolução Constitucionalista de 1932, sendo chamada de "Frente de Combates Norte" e também onde eram organizados os batalhões. A "Frente Norte" englobava várias cidades, destacando-se Guaratinguetá, Aparecida, Cunha, Cachoeira Paulista, Taubaté, Areias e Lorena.

Um dos monumentos mais emblemáticos de São Paulo faz referência à Revolução de 9 de julho de 1932. Trata-se do Obelisco do Ibirapuera, oficialmente chamado Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32. Lá estão sepultados os corpos de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo e de outros 713 mortos durante o movimento paulista anti-Vargas.